Home Curriculo Contato Convênios Hospitais
Home
Curriculo
Contato
Convênios
Hospitais
Doenças
Dúvidas Comuns
Links Recomendados
Artigos Anteriores

A Hiperplasia Prostática Benigna não tem relação com o câncer. Trata-se de uma condição histológica que acomete 50% dos homens com mais de 60 anos, e atinge até 90% deles na nona década.

Condição intimamente relacionada com a idade,  trata-se apenas do crescimento benigno da próstata pelo envelhecimento e ação continua da testosterona.

Os sintomas incidem em 30% dos homens acima dos 65 anos de idade e costumam ter impacto sobre a qualidade de vida. A boa notícia é que a maioria dispensa  tratamento, sendo que os 70% restantes tem a próstata aumentada e não sentem nada.

Os sintomas urinários podem aparecer precocemente aos 50, como também só aos 70 ou mais. São variados e se traduzem em dificuldade para iniciar a micção, jato fraco e interrompido, gotejamento terminal, maior número de micções diárias obrigando ao paciente acordar para urinar a noite.

Nos casos mais graves a micção pode ser interrompida, com necessidade de sondagem vesical. Quando a retenção é crônica, causa infecções, cálculos urinários vesicais, grande desconforto e prejuízo na qualidade de vida do paciente. Eventualmente a HPB ( hiperplasia benigna da próstata )pode dilatar os rins e causar insuficiência renal.

A intensidade dos sintomas não progride na mesma proporção que o volume da próstata, portanto a correlação entre sintomas, tamanho da próstata e fluxo urinário é relativamente baixa.

Os sintomas aparecem de maneira lenta e gradativa, e a tendência é a piora vagarosa e progressiva. Como se manifestam aos poucos, muitas vezes, passam a fazer parte do dia a dia do paciente, que se acostumam com as dificuldades urinárias.

O uso do escore IPSS ( International Prostatic Symptom Score ) é recomendável na avaliação de homens com sintomas urinários baixos, devendo-se usar  um formulário simples e que possa ser preenchido pelo próprio paciente.

O tratamento para os pacientes com sintomas graves e intensos ( 20 a 35 pontos no IPSS ) geralmente é a cirurgia, enquanto que aqueles com sintomas discretos e amenos ( IPSS de 0 a 7 ) não necessitam de nenhum  tratamento .

Agora, se os sintomas forem moderados ( de 8 a 19 pelo IPSS ), há dois caminhos: acompanhamento clínico ou tratamento medicamentoso. O desconforto, portanto, decide a conduta.

As cirurgias consagradas para o tratamento da HPB são duas, abertas para próstatas de grande volume ( geralmente acima de 90 gr) e as endoscópicas.

Em situações especiais como, pacientes jovens ou idosos demais, próstata pequenas ( menores que 40 gr ) ou doenças neurológicas é recomendado a realização de um estudo urodinâmico antes da cirurgia.

 IPSS - Escala Internacional de Av. dos Sintomas Urinários 

Guideline on The Management of BPH - cap 01

Guideline on The Management of BPH - cap 02

Home | Curriculo | Contato | Convênios | Hospitais
Site Map